Pages

Banner 468 x 60px

 

quarta-feira, 20 de março de 2013

A casa caiu para os envolvidos no duplo Homicídio em Goianinha

1 comentários




foto facebok pelotao de Pipa




Depois de aproximadamente seis quilômetros de perseguição ao longo da BR-101, em Goianinha, a Polícia Civil prendeu três suspeitos de envolvimento nos assassinatos dos universitários Manoel Gomes Teixeira Neto, 20 anos, e José Costa de Lima Júnior, 21 anos. Os corpos das vítimas foram encontrados no dia 3 deste mês numa estrada entre Espírito Santo e Goianinha, a pouco mais de 50 quilômetros de Natal.

Manoel é filho do vereador Wober de Souza Teixeira (DEM), eleito em Espírito Santo. Já o amigo, filho de um subtenente aposentado da PM.

Segundo o delegado do caso, Wellington Segundo, o suposto mandante do crime, uma mulher (que foi vista com os rapazes antes deles morrerem) e um outro homem, também suspeito de executar as vítimas, foram presos.

"Durante a perseguição eles atiraram contra as viaturas, jogaram drogas pela janela e tentaram nos despistar. Mas conseguimos cumprir os três mandados de prisão preventiva", disse o delegado. "Ainda vamos cumprir outros, mas não podemos revelar mais detalhes para não atrapalhar a conclusão da investigação", acrescentou Wellington.

A mulher detida foi atingida durante a troca de tiros, mas passa bem. "Ela foi atingida de raspão. Ela é uma das duas mulheres que foram vistas com as vítimas antes do crime", afirmou o delegado.

Morte encomendada

De acordo com as investigações, um traficante é suspeito de ter encomendado a morte de José Costa de Lima Júnior, de 21 anos. "Suspeitamos que o mandante queria a morte de José Costa por questões ligadas ao tráfico de drogas. Já o Manoel, estava na hora errada e no lugar errado, não estava marcado para morrer", indicou o delegado.

Suspeitas

Duas mulheres, uma morena e uma loira, que estiveram em um bar de Espírito Santo com os rapazes - e que depois foram vistas no local onde os corpos viriam a ser encontrados - eram as únicas pistas que a polícia tinha até uma semana depois do crime, segundo o próprio delegado Wellington Segundo.

Para o delegado, as duas mulheres são peças importantes para a elucidação do crime que chocou a cidade. Parentes das vítimas foram chamados para dar declarações como forma de iniciar oficialmente a investigação.

A Polícia Militar confirmou que um policial chegou a ver duas mulheres, uma morena e uma loira, paradas numa moto, no mesmo local onde os corpos dos jovens universitários. Segundo o capitão Fábio Sandrine, o policial que passou pelo local disse que viu uma loira e uma morena, muito bonitas, paradas com uma motocicleta na beira da pista. "Ele não desconfiou de nada. Até porque, naquele momento, as duas estavam sozinhas e os rapazes não haviam chegado ao local”, acrescentou.

materia g1

1 comentários:

alan olegario nery rodrigues disse...

Graças a DEUS os envolvidos, neste crime bárbaro, estão sendo presos.

Postar um comentário